OBRAS HIDRÁULICAS

A área de Obras Hidráulicas contempla estudos de viabilidade de empreendimentos de aproveitamento múltiplo e para transposição de bacias hidrográficas, concepção de sistemas de adução, estudos hidrológicos e de transporte de sedimentos, projetos básicos, executivos e acompanhamento técnico de obras de barragens, reservatórios de contenção de cheias, canais, diques, túneis, adutoras, dimensionamento hidráulico de estações elevatórias e dimensionamento hidro e eletromecânico de equipamentos, estudos de transientes hidráulicos, regularização de cursos de água, modelos físicos, hidráulicos e computacionais.

Projeto de Integração do Rio São Francisco

Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologia Espaciais-FUNCATE

Estudos de Viabilidade do Projeto de Integração do Rio São Francisco com bacias hidrográficas do nordeste setentrional do Brasil, totalizando cerca de 580 km de canais, 25 barragens e 10 túneis. As barragens: 11 de enrocamento com núcleo argiloso; três de CCR; nove homogêneas de solo compactado; uma mista homogênea de solo compactado e CCR; e uma mista CCR e enrocamento com núcleo argiloso. Os estudos de viabilidade foram seguidos pelos Projetos de Básicos dos Trechos I e VI, constituídos por 244 km de canais, aquedutos, túneis, adutoras, estações elevatórias e nove barragens, totalizando mais de cinco milhões de metros cúbicos, com alturas variando de 20 a 50 m e comprimento de crista de até 3.097 m.

Projeto de Integração do Rio São Francisco – Lote A

Ministério de Integração Nacional - MIN

Projetos Executivos para Implantação do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional – Lote A, para o Ministério de Integração. O sistema adutor objeto do Lote A é composto por: 17  segmentos de canais que perfazem 103,6 km de extensão; 660 m de aquedutos; 2135  m de túneis; 5  barragens; galeria celular com 376 m de extensão e quatro estruturas de controle de entrada do canal, além de três estações de bombeamento. O canal foi projetado com seção transversal trapezoidal com base final acabada de 6,0 m, taludes laterais de 1H:1,5V e vazões de 99 m³/s e 89 m³/s.

Projeto Sertão de Pernambuco

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do Francisco e do Parnaíba - CODEVASF

Estudo de Aproveitamento Integrado dos Recursos Hídricos do Projeto Sertão de Pernambuco, para a CODEVASF – Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba, com cerca de 578 km de canais, quatro estações de bombeamento, três estações de recalque, 28 reservatórios, três travessias especiais de talvegue, 60 estruturas de controle operacionais, quatro túneis, oito aquedutos, 18 sifões invertidos e 340 tomadas d’água. Os estudos foram seguidos pelo Projeto Básico do Trecho Inicial e Complementação dos Estudos Ambientais do Canal do Sertão de Pernambuco, compreendendo: o canal principal com 51 km de extensão e capacidade de condução de 71,3 m³/s; quatro barragens de solo compactado; aquedutos; estações de bombeamento; e um túnel de interligação de reservatórios.

Aproveitamento Hidroelétrico de Belo Monte

Norte Energia S.A.

Estudos de “dambreak” (ruptura hipotética), mapa de inundação, elaboração do Plano de Ações Emergenciais (PAE) e do Plano de Segurança das Barragens do Complexo da UHE Belo Monte. A Usina Hidrelétrica de Belo Monte está sendo construída na bacia do rio Xingu, nas proximidades do Município de Altamira, no norte do Pará. Sua potência instalada será de 11.233 MW, tendo o lago da usina uma área de 516 km². Este reservatório é configurado pelos barramentos do Sítio Belo Monte, pela barragem da vertente Santo Antônio e pelo barramento principal situado no Sítio Pimental, contando ainda com mais 28 diques, totalizando 31 barramentos.

Reservatório Jaguari

Construtora Andrade Gutierrez S.A.

Projeto de licitação para as obras da interligação entre as Represas Jaguari e Atibainha, situadas, respectivamente, na Bacia do Paraíba do Sul e na Bacia do Sistema Cantareira, com vistas à redução do risco sistêmico no abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo e das regiões de Campinas e Jundiaí. Além disso, a obra de interligação permitirá, em situações de afluências acima das normais no Sistema Cantareira, a reversão das águas no sentido inverso, isto é, da represa Atibainha para a represa Jaguari, com vazões de até 12,2 m³/s. As obras são constituídas por um túnel com 6.130 m de comprimento, duas estações elevatórias e uma adutora com 13,5 km de extensão e 2,20 m de diâmetro.

Programa Parque Várzeas do Tietê

Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE

Desenvolvimento de Modelagem Hidráulica Complementar do Rio Tietê, em trecho fluvial localizado nos Municípios de São Paulo e Guarulhos, para o Departamento de Águas e Energia Elétrica – DAEE/SP. O objetivo principal do estudo consistiu em realizar simulações hidrodinâmicas unidimensionais e bidimensionais com vistas à definição das condições de escoamento em trecho do rio Tietê junto aos diques de proteção existentes e a serem implantados. O trecho modelado corresponde a uma extensão total aproximada de 13.520m.

Please reload

© Copyright 2018 Engecorps Engenharia S.A. | Política da Qualidade